Indução da Ovulação

 

Para controlar o desenvolvimento e amadurecimento dos óvulos e aumentar as chances de colher mais de um óvulo, medicações hormonais específicas são utilizadas. O tipo de droga e as dosagens podem variar entre as pacientes, dependendo de aspectos clínicos do casal. Um breve resumo é dado abaixo para compreensão de sua ação, via de administração e efeitos colaterais potenciais.


LUPRON / SYNAREL são administrados através de injeção subcutânea e spray nasal, respectivamente. Sua ação inibe a liberação dos hormônios folículo-estimulante (FSH) e luteinizante (LH) da hipófise (cérebro) levando à supressão da secreção ovariana de estrógeno e progesterona. O efeito é reversível da droga. Raros efeitos colaterais incluem: ondas de calor, sudorese, náuseas, dores de cabeça, alterações do humor, dores ósseas ou reação cutânea no local da injeção.


METRODIN / PERGONAL / HUMEGON São administradas por injeção intramuscular. Metrodin é composto de FSH purificado, enquanto o Pergonal/Humegon contêm FSH e LH. Os ovários são estimulados por hormônios para produzirem crescimento e amadurecimento dos folículos, e desenvolverem os óvulos. Pacientes em uso destas medicações podem experimentar sintomas de síndrome de hiperestimulação. Esta condição causa aumento de tamanho, edema e dolorimento nos ovários. Pode haver acúmulo de líquido na cavidade abdominal e tórax e a paciente pode sentir náuseas, vômitos e perda de apetite.


Cerca de 10-20% das pacientes submetidas a estimulação da ovulação terão casos leves de síndrome de hiperestimulação. Menos de 1% dos casos são severos a ponto de necessitarem de hospitalização. A condição se resolve espontaneamente em cerca de duas semanas, a menos que ocorra gravidez. Se houver gravidez, o quadro é agravado pelo aumento dos níveis hormonais.


Em FIV-TE, a síndrome de hiperestimulação ocorre menos frequentemente, provavelmente porque os folículos são esvaziados durante a coleta ovular. É necessário para sua segurança e bem-estar realizar monitoração freqüente através de dosagens hormonais e ultrassonografia durante o processo de estimulação da ovulação. Desta maneira será minimizado o risco de hiperestimulação e suas complicações.


GONAL-F / PUREGON São preparados altamente purificados de FSH, administrados por injeção subcutânea. Os efeitos colaterais são similares aos causados pelo Metrodin / Pergonal / Humegon.


CLOMIFENO é uma medicação oral que funciona através da estimulação da hipófise para liberação de maior quantidade de FSH e LH. Efeitos colaterais possíveis: ondas de calor, distúrbios visuais.


HCG ou gonadotrofina coriônica humana é um hormônio administrado por injeção intramuscular, 34 a 36 horas antes da coleta ovular para concluir o amadurecimento dos óvulos dentro dos folículos. Efeitos colaterais potenciais: dor de cabeça, fadiga e dor no local da injeção.


PROGESTERONA é um hormônio natural administrado via intramuscular ou através de óvulos vaginais, para ajudar a implantação do embrião na parede uterina. Efeitos colaterais incluem: retenção de fluidos, dor de cabeça e alergias cutâneas.


Existem sempre efeitos colaterais potenciais de qualquer medicação utilizada. A severidade da reação depende da resposta individual de cada paciente.


Um exame ultrassonográfico do ovário, juntamente com a dosagem sérica do estradiol, são usados para monitorizar o desenvolvimento folicular, com o objetivo de prever o momento da ovulação e da coleta ovular.