ICSI

 

A ICSI, ou injeção intracitoplasmática de espermatozóide, representou um avanço em relação a técnica de fertilização in vitro convencional. Devido as excelentes taxas de fertilização e bom desenvolvimento embrionário, a técnica de ICSI tem sido indicada em praticamente todos os casos de infertilidade, mesmo sem a presença do fator masculino de infertilidade.


A ICSI consiste na injeção de um único espermatozóide no interior do óvulo com um sofisticado aparelho chamado de micromanipulador de embriões. A agulha que faz a injeção do espermatozóide é dez vezes mais fina do que um fio de cabelo e a visão é ampliada quatrocentas vezes. É um processo de altíssima tecnologia e que requer a existência de um aparelho chamado de micromanipulador de gametas. 


As principais indicações da ICSI são:


1. Casais com fator de infertilidade masculina severa.


2. Casais com fator de infertilidade masculina moderada:

– Concentração espermática de menos de 15 milhões de espermatozóides por ml ou;

– Motilidade espermática com menos de 35% móveis ou;

– Morfologia muito ruim do espermatozóide.


3. Casais que fizeram um ciclo prévio de fertilização in vitro convencional e que não teve fertilização ou cuja taxa de fertilização foi baixa.


4. Casais que produziram um menor número de óvulos – menos de seis óvulos;


5. Azoospermia – ausência de espermatozóides no ejaculado; o espermatozóide existe no epidídimo ou dentro do testículo.

 

Como a ICSI é realizada?

 

1. O óvulo maduro é seguro com uma pipeta especializada – chamada de pipeta holding.


2. Uma agulha extremamente delicada é usada para imobilizar o espermatozóide.


3. Esta agulha é cuidadosamente inserida dentro do citoplasma do óvulo.


4. O espermatozóide que esta no interior da agulha é injetado no interior do óvulo.


5. A agulha é cuidadosamente retirada do interior do óvulo.


Antes da realização da ICSI é necessário que o casal passe por algumas etapas: 


1. Estimulação da ovulação;

 

2. Aspiração do líquido folicular;

 

3. Checagem da presença dos óvulos no líquido folicular;

 

4. Denudação dos óvulos;

 

5. Período de maturação dos óvulos.