Um comitê de especialistas da Sociedade Americana de Medicina Reprodutiva publicou recentemente na revista Fertility Sterility uma opinião/revisão sobre a reserva ovariana ao longo da vida feminina.

O número máximo de folículos ovarianos na mulher, os quais contêm em seu interior os preciosos óvulos, é atingido por volta de 18 a 20 semanas da vida intra-uterina (4 a 5 meses de gravidez). Deste ponto em diante, o número de folículos somente diminui, até que a mulher atinja sua menopausa.

A taxa de diminuição destes folículos (óvulos) é principalmente determinada por fatores genéticos de cada mulher, e não sofre influência de estados de gravidez, amamentação ou uso de contraceptivos. Efetivamente, a maioria destes folículos já se perdeu no momento em que a mulher inicia sua vida reprodutiva – a menacme.

É isto mesmo que você entendeu: o momento da vida em que a mulher tem a maior quantidade de óvulos é, ironicamente, quando ela não está “precisando” deles, ou seja, na vida intra-uterina e na sua infância.

Certas situações podem acelerar a perda de óvulos, como cirurgias ovarianas, tratamentos de câncer por quimioterapia e radioterapia, além de lesões ao suprimento vascular dos ovários. Além disso, alterações genéticas como a Síndrome de Turner (falta de um cromossomo – 45 X0) ou mutações no gene do X-frágil (FMR1) estão associadas com taxas de perdas de óvulos mais rápidas.

Os folículos crescem e amadurecem em “ondas”, ou seja, um conjunto (ou coorte) de folículos é recrutado a cada vez no ovário, e estes vão crescendo por cerca de 3 meses, saindo do estágio de folículo primordial até a eclosão de um óvulo maduro (ovulação). O crescimento final dos folículos é regulado por vários hormônios e depende de uma interação extremamente sincronizada entre os ovários e a hipófise. Durante estas duas semanas finais de desenvolvimento o folículo é selecionado e progride para a ovulação.

Devido à atual tendência mundial das mulheres adiarem sua maternidade, é importante discutir com os casais este declínio na qualidade dos óvulos e da fertilidade relacionados à idade da mulher.

Neste trabalho, um comitê de especialistas analisa as vantagens e desvantagens de exames de avaliação de reserva ovariana, e discute sua interpretação.

 

INTERPRETAÇÃO DOS EXAMES DE AVALIAÇÃO

A avaliação de reserva ovariana consiste na determinação do número (quantidade) e da qualidade dos óvulos de uma mulher. Os exames são realizados com o objetivo de predizer o potencial reprodutivo da mulher. Os principais exames utilizados:

FSH – O hormônio folículo-estimulante produzido na hipófise determina o crescimento e amadurecimento dos folículos ovarianos. Sua produção é controlada (inibida) por hormônios produzidos nos ovários como o Estradiol e a Inibina-B. A relação é inversa: quanto mais estradiol e  Inibina B, menos FSH. Quando os folículos começam a diminuir nos ovários, com o avançar da idade, os níveis de estradiol e Inibina-B começam a declinar, e desta maneira o nível sanguíneo de FSH aumenta. A dosagem deste hormônio, portanto, nos dá uma ideia da reserva ovariana feminina, e o aumento dos seus níveis prevê baixa resposta dos ovários em ciclos de estimulação ovariana para fertilização in-vitro (FIV). Mas não há uma boa correlação dos níveis de FSH com as chances de gravidez. FSH alto também não se correlaciona com aumento do risco de aneuploidias (alterações cromossômicas) – esta alteração está muito mais relacionada à idade da mulher. Importante notar ainda que pode haver grande variação dos níveis de FSH dentro de um ciclo hormonal, e entre diferentes ciclos na mesma mulher.

AMH – O hormônio anti-mülleriano é produzido pelos pequenos folículos antrais do ovário, com tamanho até cerca de 8 mm. Quanto maior o número destes folículos, maior a reserva ovariana e, portanto, maiores os níveis de AMH. Uma grande vantagem é que os níveis séricos deste hormônio não sofrem variação dentro do ciclo hormonal, e têm mínima variação inter-ciclo. Tem ótima correlação com a resposta ovariana à estimulação, mas sem boa predição de chance de gravidez.

Contagem de Folículos Antrais – Esta contagem é feita por ultrassom transvaginal realizado no início do ciclo menstrual. São contados os folículos com diâmetro de 2 a 10 mm. Contagens abaixo de 7 folículos estão ligadas a baixa resposta ovariana, mas também tem baixa correlação com taxa de gravidez. Já contagens

Os especialistas não recomendam outros testes como a dosagem de Inibina B, ou mesmo o teste do Citrato de Clomifeno, já que não vão acrescentar ao diagnóstico da situação ovariana, ou ao prognóstico do tratamento.

 

COMENTÁRIOS

Quando usar então estes exames? Pacientes que se submeterão a tratamentos de reprodução assistida, notadamente a FIV, primeiramente terão seus ovários estimulados para produzir vários folículos/óvulos maduros. Para ótimos resultados o objetivo é conseguir cerca de 10 a 15 óvulos maduros. Os exames de reserva ovariana podem ser utilizados para predizer respostas ovarianas baixas, normais ou excessivas, e assim facilitar a determinação do esquema e da dose de gonadotrofinas.  

A avaliação de reserva ovariana deve sempre fazer parte da avaliação de um casal subfértil. Mesmo que resultados extremos destes testes nem sempre afastem completamente a chance de gravidez, estão associados com taxas muito baixas de sucesso. Portanto, valores muito baixos de AMH ou contagem de folículos antrais, ou valores altos de FSH, podem denotar chances muito baixas de gravidez, e isto deve ser comunicado ao casal, para que se tome a melhor decisão em termos de viabilidade do tratamento.

Na interpretação destes exames, é fundamental ainda considerar a idade da mulher. Valores de reserva ovariana baixa em mulheres jovens podem indicar baixa resposta quantitativa, mas de óvulos em geral com boa qualidade e, portanto, chances razoáveis de gravidez. O mesmo valor baixo, em mulheres mais velhas, significa que os óvulos estão em pequena quantidade, e que ainda são de muito baixa qualidade, havendo, portanto, chance muito baixa de sucesso.

Pergunte sempre ao seu médico especialista como ele classifica sua reserva ovariana !

Boa leitura e bom proveito! Fiquem com Deus e até nosso próximo post.

37 Comentários para “Como utilizar os exames de reserva ovariana”

  1. Kelly disse:

    Olá, Dr. Fabio!

    Fiz o exame AMH, tenho 30 anos e o resultado foi 0,53
    Esta muito baixo?
    Será que consigo engravidar fazendo uma fiv?

  2. Maria disse:

    Estou ja na fase de madurecimento dos ovulos mas ate agora so um tem 18 mm os outros 3 nao estao a responder ao tratamento o k posso fazer

  3. Alessandra disse:

    Oi Dr Fábio,

    Muito elucidativo o post. Tenho 42 anos e no mês passado (4ºDC) fiz contagem de folículos antrais e o médico (bem conceituado) me informou que tinha uma reserva ovariana boa para minha idade (11 folículos antrais totais nos 2 ovários) e neste mês (3ºDC) fiz exame de sangue e meus resultados foram muito ruins ( FSH= 62,2 UI/L; Estradiol=2 ng/dL e Anti mulleriano=0,04 ng/mL). Foi a primeira vez que fiz o anti mulleriano, mas o FSH sempre dá alto e o estradiol baixo.
    Estou muito confusa com esses resultados tão contrários em dois métodos tão confiáveis conforme relatado pelo sr. O que pode estar acontecendo? Estou entrando em menopausa? Ainda menstruo todos os meses mas às vezes tem sido mais longos os ciclo (aprox. 35 dias). Muito obrigada.

  4. fabioeugenio disse:

    Oi Maria,

    Como já há folículo maduro não há mais como mudar o resultado da estimulação.

    Abs,

    Dr. Fábio Eugênio

  5. fabioeugenio disse:

    Oi Alessandra,

    Nestes casos pode-se fazer uma estimulação ovariana para ver a resposta.

    Mesmo com a presença de folículos pode não haver resposta nos casos de exames laboratoriais muito alterados.

    Abs,

    Dr. Fábio Eugênio

  6. Joana disse:

    Boa tarde,

    Tenho 42 anos e 1 filho com 4 anos e pretendo ter mais 1. Fui a uma consulta de fertilidade e apresentei os resultados das análises clínicas: FSH – 81,2 e LH – 32,31. O espermograma está normal. O médico disse-me logo que não valia a pena fazer FIV com os meus óvulos. Só seria possível se fossem óvulos doados.
    Tenho os meus ciclos menstruais muito regulares, fiz um teste de ovulação no mês passado e deu positivo…
    O que aconselham? Haverá algum tratamento?
    Muito obrigada.

  7. fabioeugenio disse:

    Oi Joana,

    O exame hormonal denota uma reserva ovariana muito baixa. Por isso, as chance com seus óvulos são mínimas, e as chances maiores são com doação ovular.

    Abs,

    Dr. Fábio Eugênio

  8. katia carvalhais disse:

    Boa tarde! tenho 46 anos , faço 47 em maio tive um filho aos 22 anos e outro faltando 2 meses pra fazer 40 , depois dele tive um aborto um ano depois aos 41 e outro aos 43 ha 7 anos nao tomo medicaçao sou loca pra engravidar de novo será que existe essa possibilidade? quando estava de resguardo meu filho de 18 anos faleceu o primeiro vivo uma dor que so eu sei será que poderia me ajudar a prencher essa dor aguardo sua resposta com carinho…..

  9. fabioeugenio disse:

    Oi Katia,

    Meus sentimentos e solidariedade por sua perda.

    Você pode ter ótimas chances de nova gravidez, mas através da fertilização in-vitro (FIV) com óvulo-doação.

    Abraços,

    Dr. Fábio Eugênio

  10. Shirlei disse:

    Boa noite! Tenho 38 anos eu e meu esposo gostaria muito em ter um filho, mas meu Fsh de 23,3 e meu médico disse que as chances deu me tornar mãe e 10%….existe algo que posso fazer?

  11. fabioeugenio disse:

    Oi Shirlei,

    Seu FSH denota reserva baixa, mas ainda assim pode haver gravidez com o tratamento adequado.

    Abs,

    Dr. Fábio Eugênio

  12. CLAUDIA APARECIDA RIBEIRO disse:

    Olá
    Tenho 38 anos queria ter um terceiro filho fiz o exame:
    Estradiol deu 36 pg/ml resultado
    Hormonio Foliculo Estimulante 10,56 mui/ml
    Prolactina 41,47 ng/ml

    Esses resultados são bons ou ruins?

  13. fabioeugenio disse:

    Oi Cláudia,

    O FSH está discretamente alto, o que pode denotar reserva ovariana diminuída.

    Abs,

    Dr. Fábio Eugênio

  14. Maralise Brito disse:

    Boa tarde tenho 40 anos e parei anticoncepcional há 02 meses.
    Fiz exames que minha GO pediu e está tudo ok, porem quando fiz o FSH estava no meu 5 dia de menstruação e o resultado foi de 11.58.
    Gostaria de saber o que esse valor indica e acarreta em uma possível gestação.
    Aguardo retorno…
    Att,

  15. Alane disse:

    Noa noite. Tenho 37 anos e 11 meses (38). Nao tenho filhos. E este ano me preparei para tentar. Menstruo todo mês, mas em fevereiro atrasou 19 dias e o Bhcg qtitativo deu negativo. Repeti e deu novamente. Fiz o exame antimulleriano e o valor foi chocante 0.02 ng/ml. Mesmo c minha mae ter entrado na menopausa aos 51 anos. Meu FSH normal 6.1 e estradiol tb normal. Nao tenho chances de engravidar ?

  16. karla disse:

    Em 23/05/2016 fiz um beta e deu positivo, no dia 25/05/2016 fiz a 1 ecografia foi verificado que estava sem batimentos cardíacos. Fiz uma curetagem. o médico explicou que era normal fez exames e tudo certo. Resolvemos fazer um perfil de trombofilia e acusou 2 mutações MTHFR C677r e A1298C. Descobri uma nova gravidez em março fiz ecografia e estava com 5 semanas e 6 dias quando fui fazer a outra ecografia estava sem batimentos cardíacos novamente. Minha homocisteín ano passado estava 10,3 junho e acabei de fazer exame esta 5,9. Estava usando clexane utrogestam acido fólico . Tenho 38 anos acabei de fazer. Em 08/11/2016 FSH 6,8 mUI/ml LH 3,2 beta estradiol 111,6. Estou em consulta geneticista estou aguardando resultado cariótipo de sangue do casal, cariótipo de restos ovulares e CYTOSNP. Pode me auxiliar em alguma coisa?

  17. fabioeugenio disse:

    Oi Maralise,

    Pode apenas significar reserva ovariana diminuída.

    Abs,

    Dr. Fábio Eugênio

  18. fabioeugenio disse:

    Oi Alane,

    Faça também a contagem de folículos por ultrassom. E há chance de gravidez sim.

    Abs,

    Dr. Fábio Eugênio

  19. fabioeugenio disse:

    Oi Karla,

    Acho que você está no caminho certo de investigação. Sugere alteração genética nos embriões, podendo ser eventual.

    Abs,

    Dr. Fábio Eugênio

  20. Flavia disse:

    Bom dia!
    Há 10 anos que tomo anticoncepcional.
    Tenho 28 anos e parei de tomar ha 2 meses.
    Fui fazer exame emdovaginal e apareceu no exame dos dois ovarios alguns foliculos antrais.
    O que isto quer dizer?
    Vou poder engravidar?

    Obrigada

  21. fabioeugenio disse:

    Oi Flávia,

    São folículos normais do ovário. Para saber potencial reprodutivo, vários outros exames são necessários.

    Abs,

    Dr. Fábio Eugênio

  22. Noeme disse:

    Boa noite, Dr.

    Tenho 32 anos tentante a 2 anos, a 8 meses meus hormonios teram todos normais, porém refiz os exames a pedido de outro medico e o FSH deu 13.96 MUI/Ml e o estradiol 106, poderá significar baixa reserva ovariana?

  23. fabioeugenio disse:

    Oi Noeme,

    É sempre bom repetir para confirmar, e fazer também o AMH e contagem de folículos antrais.

    Abs,

    Dr. Fábio Eugênio

  24. Aline disse:

    Doutor nasci apenas com o ovário direito e sua respectiva trompa, sendo assim tenho metade dos óvulos de uma mulher com os dois ovários?

  25. Mila disse:

    Dr. Boa tarde.
    Tenho 33 anos, AMH 0.3, demais exames laboratoriais sem alteração. Endométrio fino, 0,6mm em média 1 dia antes da ovulação.
    Existe chance de gravidez natural com o AMH baixo?
    É arriscado aguardar alguns meses para dar início à FIV, ou as chances serão parecidas?

    Att.

  26. adriana disse:

    Dr. boa noite…estou com uma dúvida….fiz contagem de foliculos antrais… tive 16 folículos mas meu fsh deu 11.8…o que o sr. acha? Achei que não bate o valor do fsh com a reserva

  27. adriana disse:

    Dr, esqueci de falar….tenho indicação de FIV

  28. Mary disse:

    Boa tarde Dr. Fabio,

    Gostaria muito de ter a sua opinião sobre o meu caso.

    Estou a tentar engravidar há um ano, tenho 37 anos e diagnóstico de endometriose e adenomiose e apenas 4 folículos antrais vistos na ecografia.

    Fiz análises hormonais e a maioria dos resultados deram normais, especifico estes que eram os que me preocupavam mais:
    – Foliculoestimulina 6,9 (valor ref. 3º dia ciclo <10)
    – Relação LH/FSH 1,1 (valor ref. 30)
    – CA 125 – 56 (valor ref. <35)

    Já fiz a histeroscopia e histerossonosalpinografia, que revelaram trombas desobstruídas e nenhuma alteração morfológica mas confirmaram a endometriose e adenomiose.

    Acha que a probabilidade de engravidar com FIV é positiva? Fiquei com receio que 4 folículos seja pouco e também que a endometriose e adenomiose dificultem a implantação de eventuais embriões fecundados..

    Muito obrigada.

  29. fabioeugenio disse:

    Oi Aline,

    Sim. Mas um ovário somente tem óvulos em quantidade suficiente para gravidez.

    Abs,

    Dr. Fábio Eugênio

  30. fabioeugenio disse:

    Oi Mila,

    Existe chance sim, mas baixa. E alguns poucos meses não vão influir na sua fertilidade.

    Abs,

    Dr. Fábio Eugênio

  31. fabioeugenio disse:

    Oi Adriana,

    A contagem é boa, mas a resposta ovariana pode ser um pouco abaixo do esperado!

    Abs,

    Dr. Fábio Eugênio

  32. fabioeugenio disse:

    Oi Mary,

    A reserva ovariana é baixa, e a adenomiose pode diminuir a chance. Mesmo assim, formando embriões de qualidade, você tem boa chance com a FIV.

    Abs,

    Dr. Fábio Eugênio

  33. Cândida disse:

    Boa noite Dr Fábio!

    Gostaria de sua opinião: Tenho quase 36 anos e tento engravidar há dois… um em tto… já realizei histerossalpingografia que apresentou resultado normal após a introdução do contraste pela segunda vez. AMH 0,11 e estou com pedido de US para contagem de folículos antrais. Tenho um mioma, utero deslocado e hipotireoidismo

    Acredito que a unica alternativa será a FIV. O Sr pode me orientar se estou no caminho certo e se as chances são muito baixas?

    Obrigada pela atenção! Abçs

  34. Ivone disse:

    Boa tarde Dr Fabio
    Tive câncer de mama, fiz. quimioterapia, radioterapia e hormonioterapia com tamoxifeno e zoladex, terminei em fevereiro deste ano. Agora quero engravidar meus exames FSH= 5,5
    LH =1,2
    ESTRADIOL < 20
    PROLACTINA = 7,10
    Será possível engravidar naturalmente com esses valor?
    Obrigada Dr
    Ivone

  35. fabioeugenio disse:

    Oi Cândida,

    O AMH denota reserva ovariana baixa. Ainda assim as chances são boas na FIV.

    Abs,

    Dr. Fábio Eugênio

  36. fabioeugenio disse:

    Oi Ivone,

    Exames satisfatórios sim! Veja se seu oncologista já libera para gravidez.

    Oi Lili,

    A perda de células reduz a chances de implantação do embriâo!!

    Abs,

    Dr. Fábio Eugênio

  37. fabioeugenio disse:

    Desculpa Ivone, sua resposta foi com um texto adicional anexado,

    Abs,

    Dr. Fábio Eugênio

Deixe uma resposta

Mensagem