O Professor Jones, pioneiro em Reprodução assistida, faleceu este 31 de julho no Hospital de Norfolk aos 104 anos, rodeado por seus 3 filhos, 7 netos e amigos.

Howard nasceu dia 30 de dezembro de 1910 na cidade de Baltimore, USA. Graduou-se no Amherst College em Massachusetts em 1931 e na Universidade Jones Hopkins em 1935, onde trabalhou três décadas até sua aposentadoria.

dr-jones-reproducao-humana-medicina-reprodutiva-dr-fabio-eugenio

Apesar de que suas maiores conquistas foram na medicina reprodutiva, muita gente desconhece que seu início foi posterior a sua aposentadoria.

Em 1978, uniu-se à Eastern Virginia Medical School, na cidade de Norfolk, chegando o mesmo dia que nasceu o primeiro bebê de proveta do mundo, na Inglaterra.

Três anos mais tarde, graças ao trabalho de Howard ye Georgeanna Jones, sua esposa, nasceu Elizabeth Comeau, quem foi o primeiro bebê de proveta nos EUA.

Elizabeth sempre se lembra com muito carinho como Howard a chamava todos os anos por seu aniversário. Sempre se lembrará com carinho esses dias da mãe no instituto Jones, onde Howard e Georgeanna compartilhavam o dia com os casais e as crianças nascidas por reprodução assistida.

Nos seus primeiros anos em Norfolk, desenvolveu a técnica para a estimulação ovariana. Em sua carreira, chegou a escrever 12 livros sobre reprodução.

Foi fundador do Instituto Jones de medicina reprodutiva da Eastern Virginia Medical School e Professos de ginecologistas e endocrinologistas especialistas em reprodução de todo o mundo.

Em 1984, ajudou a criar o comitê de ética da American Fertility Society, que atualmente é a American Society for Reproductive Medicine.

Durante toda sua vida, se manteve atualizado em medicina e tecnologia.

Em seu aniversario número 100, foi entrevistado por uma televisão de Norfolk, onde admitiu que estaria perdido sem seu IPhone. Em seus últimos anos no instituto Jones, instalaram um elevador eletrônico nas escadas que davam a seu escritório para permitir seu acesso. Howard continuou indo ao Jones até depois dos 100 anos.

Aqueles que tivemos a oportunidade de conhecê-lo e compartilhar os ateneus médicos com ele, lembramos as intervenções muito oportunas que fazia em cada caso clínico, mostrando permanentemente estar em dia com os temas da atualidade.

Durante a entrevista realizada por seus 100 anos, perguntaram a ele qual tinha sido sua maior conquista. Ele respondeu “conseguir que Georgeanna se casasse comigo”. Viveram 65 anos de matrimônio, até que ela falece de Alzheimer aos 92 anos, em 2005. Howard se dedicou devotadamente a seu cuidado en seus últimos anos.

Grande esposo, admirável científico, excelente ser humano e fiel admirador da vida. Suas conquistas e ensinamentos nunca serão esquecidos, e não nos resta mais que agradecer em nome da comunidade científica por seu legado.

Até sempre, Howard Jones.

Dra. Rita Vernocchi.
Ex-aluna do Instituto Jones.
Especialista em Medicina Reprodutiva.
Montevidéu, Uruguai.

Fonte: Rede Latino Americana de Reprodução Assistida (REDLARA)

4 Comentários para “Homenagem a Howard Jones: pioneiro mundial em FIV”

  1. Quiteria disse:

    olá tenho 46 anos e sou ligada e quero saber se posso ter filho com o espermatozoide do meu marido e o meu ovulo? e queria que o Senhor me explica-se os procedimento, sou de recife…

  2. fabioeugenio disse:

    Oi Quitéria,

    As chances com seus próprios óvulos é baixa. A melhor opção é com óvulos doados.

    Abs,

    Dr. Fábio Eugênio

  3. Amanda disse:

    Ola doutor quais as chances de ter gêmeos
    Com ajuda de Médicos sendo um sonho
    Não tenho nenhum bebe ainda por opção
    Mas o meu sonho e ter gêmeos.

  4. fabioeugenio disse:

    Oi Amanda,

    O tratamento não é realizado com objetivo de obter gêmeos, mas a possibilidade é em torno de 20 a 25%.

    Abs,

    Dr. Fábio Eugênio

Deixe uma resposta

Mensagem