Especialista em Reprodução Humana no Ceará, Dr. Fábio Eugênio foi destaque na capa do Jornal O Estado no dia 13 de julho de 2015. Na entrevista exclusiva concedida ao meio de comunicação, Dr. Fábio explicou sobre a preservação da fertilidade em pacientes com câncer: a oncofertilidade. Além disso, falou um pouco sobre os tipos de técnicas aplicadas, as indicações e contraindicações, os custos e o perfil de mulheres que podem usufruir desta descoberta da medicina.

Leia a matéria completa clicando aqui!

4 Comentários para “Dr. Fábio Eugênio é capa do Jornal O Estado”

  1. Renato Amorim disse:

    Escrevo este relato pois acho que poderá, em alguma ocasião auxiliar a alguém que esteja confuso ou ansioso, como um dia eu e minha esposa estivemos.

    Logo no início, quando pensamos em ter um filho, a primeira coisa que fizemos foi um grande check-up. O ginecologista de minha esposa detectou uma variação sensível em seu hormônio FSH. Diretamente, nos indicou 3 clínicas de especialistas em reprodução assistida, entre elas a IBBRA – Instituto Brasileiro de Reprodução Assistida-IBRRA.

    Lá questionamos se o fato da alteração hormonal poderia ter se dado pelo fato de minha esposa ter retirado um dos ovários quando tinha 20 anos, por conta de um cisto. O dr. Bruno Augusto Brun Scheffer nos disse que era sem chances, pois o ovário que ficou assumiria plenamente as funções do outro.

    O dr. Bruno Augusto Brun Scheffer ainda nos mostrou, através de estatísticas e porcentagem que a probabilidade de engravidarmos naturalmente era basicamente nula…

    Durante a consulta ouvimos muitas piadas sobre o nosso estado de ansiedade, principalmente sobre o meu. Após todas as perguntas que eu fazia, relacionadas ao processo / procedimentos sugeridos por ele (FIV), ele me perguntava: você é ansioso? Era óbvio, que naquela situação, estávamos preocupados e ansiosos.

    Logo que finalizou esta primeira consulta, imediatamente sugeriu que aguardassemos na sala ao lado onde a gerente financeira já iniciou suas explicações sobre custos, parcelamentos, etc, etc. Achamos tudo: money, money, money! Como diz o próprio dr. Bruno Scheffer.

    Desta forma, para “confirmar” a infertilidade, ele solicitou um exame de Hormônio Anti-Mülleriano. Segundo ele, era 99,9% de chance de dar um valor baixo, o que sugeriria irmos diretamente, e com pressa, para um tratamento FIV (Fertilização in Vitro).

    Fato é que o resultado do exame foi regular. Por telefone, para minha esposa, ele não mudou em nada sua postura, sugeriu mantermos o mesmo planejamento de realizar uma FIV, uma vez que a mulher nasce com um determinado número de óvulos e que estaríamos “correndo contra o tempo”.

    Pensamos, ora, se minha esposa tem 32 anos. Cada ano 12 meses, já são, portanto 384 meses de vida… Decidimos, portanto, nos dar o prazo de pelo menos 3 meses para engravidar naturalmente.

    Para nossa surpresa, fomos abençoados e conseguirmos engravidar naturalmente na primeira tentativa.

    Fato é que ficou aquele desconforto com relação à clínica e à maneira com que o dr. Bruno conduziu o processo. Imagino que se não fossemos abençoados no primeiro mês, e talvez no quarto… tivéssemos tomado alguma atitude precipitada ou deixaríamos de acreditar na possibilidade de uma fecundação natural.

    Acredito que cada um deva avaliar os riscos envolvidos em seu caso, porém, pensar em paz, sem pressão e dar tempo ao tempo.

    Renato Amorim.

  2. fabioeugenio disse:

    Oi Renato,

    Obrigado por seu relato.

    Na maioria dos casos não há uma impossibilidade absoluta de gravidez, mas sim casos de subfertilidade (diminuição das chances naturais).

    Por isso, é sempre importante orientar o casal de que os tratamentos aumentam as chances de sucesso, mas ainda assim existe chance natural de gravidez.

    Abs,

    Dr. Fábio Eugênio

  3. Doadoadoa disse:

    Olc3a1, boa tardeEstou com uma dc3bavida, por favor me ajude.Meus ciclos mnrsteuais duram em torno 28 dias.No entanto, em Setembro deste ano depois da minha ultima menstruac3a7c3a3o parei de tomar o anticoncepcional para engravidar.Era pra menstruac3a7c3a3o descer no dia 23/09, e nc3a3o desceu.Esperei 10 dias para fazer o teste de gravidez,fiz o de farmc3a1cia,deu negativo.No dia 05/10,fiz o teste de sangue e tbm deu negativo.Sei que posso nc3a3o estar grc3a1vida.Mas minha menstruac3a7c3a3o ainda nao desceu e sinto dores como se fossem cc3b3licas e nos dois ovc3a1rios.Se nc3a3o c3a9 gravidez o que pode ser entc3a3o?

  4. fabioeugenio disse:

    Olá,

    É preciso exame com o ginecologista para definir o diagnóstico.

    Abs,

    Dr. Fábio Eugênio

Deixe uma resposta

Mensagem