Realizou-se neste final de semana (29 e 30 de novembro), no Rio de Janeiro, o ICOS 2014. É um evento de atualização em estimulação ovariana controlada, ou seja, na estimulação ovariana para fertilização in-vitro (FIV).

O congresso contou com palestrantes internacionais, como o Dr. Geoffrey Trew da Inglaterra, e nacionais como o Dr. Sandro Esteves, diretor da clínica Androfert de Campinas-SP (comigo na foto acima).

A estimulação ovariana continua a ser uma das pedras angulares da FIV, já que é o início do tratamento, e de onde deriva a célula mais preciosa no processo: o Óvulo maduro. Uma estimulação ovariana bem conduzida, levando a obtenção de boa quantidade de óvulos maduros e de boa qualidade, é primordial para o sucesso da fertilização in-vitro (FIV).

Existe tendência atual a uma personalização da estimulação ovariana. O que isso quer dizer? Significa adequar a estimulação ovariana a cada paciente em particular. Baseado em fatores de avaliação prévios, tais como a idade, características clínicas, índice de massa corporal (IMC), e exames complementares, o especialista pode particularizar as medicações e doses para cada caso, no intuito de obter a mais adequada estimulação e com mínimos riscos.

Os principais exames complementares continuam a ser o FSH basal (hormônio folículo-estimulante), o AMH (hormônio anti-muleriano), e a contagem ultrassonográfica de folículos antrais.

O FSH é um hormônio da hipófise que estimula o ovário. Nos casos de ovários “resistentes”, ou seja, quando existe baixa reserva ovariana, a hipófise aumenta sua liberação de FSH tentando estimular mais intensamente o ovário. Portanto, a detecção de altos níveis de FSH no sangue (valores acima de 10) sinaliza que a paciente pode ter uma reserva ovariana baixa. Valores abaixo de 10 apontam para reserva normal.

O AMH é produzido por células dos folículos antrais pequenos, e sua dosagem no sangue também dá pistas acerca da reserva destes folículos no ovário. Em geral, valores entre 1,0 e 3,5 são normais. Abaixo de 1,0 reflete reserva ovariana baixa. Acima de 3,5 reflete reserva muito alta (risco de hiperestimulação no tratamento).

A contagem ultrassonográfica de folículos antrais é simples de ser realizada, e igualmente importante. Realizada normalmente na fase basal (2º ou 3º dia do ciclo). Consideramos normal uma contagem entre 7 e 15 folículos – somando os dois ovários. Logicamente este achado deve ser particularizado em relação à idade da mulher. Seis ou menos folículos indicam reserva ovariana baixa, enquanto uma contagem acima de 15 folículos reflete reserva muito alta e, portanto, risco para resposta ovariana excessiva.

Além destes exames de reserva ovariana, é fundamental ainda considerar o diagnóstico de subfertilidade do casal. Logicamente em mulheres com síndrome dos ovários policísticos (SOP) esperamos respostas fortes, com risco até de hiperestímulo ovariano. Nos casos de fatores masculinos (alterações de espermograma), ou obstruções tubárias, que são casos em que o fator ovulatório é normal, a resposta ovariana às medicações tende a ser normal também. Em casos de doenças pélvicas que atinjam os ovários como endometriose ou aderências, a resposta do ovário tende a ser mais difícil.

Todos estes fatores devem ser considerados em conjunto para a decisão sobre a estimulação ovariana mais adequada para cada mulher, com objetivo de otimizar a obtenção de óvulos, e ao mesmo tempo reduzir os riscos para a paciente. Mais do que nunca, vale uma máxima da medicina: “cada caso é um caso”.

Assim podemos definir qual a gonadotrofina mais adequada (FSH recombinante; Gonadotrofina urinária purificada; LH recombinante), o bloqueio hipofisário (antagonista ou agonista de GnRH), o indutor final mais adequado (HCG ou agonista de GnRH), bem como a medicação mais adequada para suporte de fase lútea (após a transferência embrionária).

Estes foram os fundamentos principais abordados neste encontro de especialistas. Esperamos que tenham feito boa leitura. E até o próximo post !!

8 Comentários para “ICOS (Individualized Controlled Ovarian Stimulation)”

  1. michelle Santiago disse:

    Gostaria de saber se tem ess

    e prosseguimento no rio de Janeiro

  2. fabioeugenio disse:

    Oi Michelle,

    No RJ existem ótimas clínicas. Veja no site sbra.med.br

    Abs,

    Dr. Fábio Eugênio

  3. ivone neves disse:

    Dr aq Cascavel Pr tem alguma clinica de reproduçao humana qro fazer. fiv. obrigado

  4. fabioeugenio disse:

    Oi Ivone,

    Se informe no site http://www.sbra.med.br

    Abs,

    Dr. Fábio Eugênio

  5. jordania mognato disse:

    Moro em Vitória. Es.obs.fertilizados.

  6. fabioeugenio disse:

    Oi Jordânia,

    É preciso reavaliar a qualidade dos gametas, e dos embriões formados, além da receptividade endometrial.

    Abs,

    Dr. Fábio Eugênio

  7. Edna disse:

    Bom dia tenho 49. Sou operada a 18 a
    Possibilidades de eu ficar grávida existe
    Algum tratamento ainda tenho regras me
    Responda por favor

  8. fabioeugenio disse:

    Oi Edna,

    Você pode engravidar pela FIV com doação ovular.

    Abs,

    Dr. Fábio Eugênio

Deixe uma resposta

Mensagem