A tentativa de simplificação do processo de estimulação ovariana na fertilização in-vitro (FIV) sempre foi um objetivo dos cientistas na área de medicina reprodutiva. Desta maneira os protocolos tornam-se mais simples e amigáveis para as pacientes, reduzindo o desgaste físico e psicológico do processo.

No final de semana passado (1 e 2 de novembro), participamos em São Paulo, do Summit 2014 (foto), um encontro de especialistas para atualização em uma nova medicação que vem sendo usada para simplificar a indução na FIV – a Corifolitrofina, cujo nome comercial é o Elonva.

Na foto, estou com dois dos palestrantes do encontro, o Dr. Nikolaos Polyzos, PhD da Universidade de Bruxelas – Bélgica, e chefe de um serviço de reprodução humana naquele país onde são realizados cerca de 5.000 ciclos de FIV ao ano; e nossa amiga Dra. Paula Navarro da Universidade de Ribeirão Preto (USP) e chefe do laboratório de reprodução assistida desta entidade – uma das mais conceituadas do Brasil.

A estimulação ovariana para FIV, conforme detalhado em outros posts neste blog, tem por objetivo recrutar e amadurecer vários folículos ovarianos (contendo óvulos) ao mesmo tempo. É um passo inicial, e crucial, no sucesso do procedimento. Para tal, são utilizados vários protocolos com gonadotrofinas injetáveis, a base de FSH recombinante (ex: Gonal ou Puregon), ou medicações com efeito FSH-LH-HCG (ex: Menopur).

Este processo dura cerca de 9 a 12 dias, com injeções diárias, via subcutânea, muitas vezes com mais de uma aplicação ao dia. Certamente este tratamento evoluiu muito. Basta lembra que antigamente as injeções eram dolorosas e de aplicação intramuscular. Atualmente, a via subcutânea, com agulhas muito pequenas e finas, traz mais conforto à paciente, mas ainda assim é incômodo passar 10 dias ou mais tomando injeções diariamente.

Através de pesquisas clínicas, o laboratório MSD desenvolveu uma gonadotrofina de ação prolongada, que é a alfacorifolitrofina. Esta medicação injetável tem efeito muito prolongado no organismo, mantendo um efeito de estimulação ovariana por cerca de 7 dias. Desta maneira, no início do processo de estimulação a paciente pode tomar apenas uma injeção, cuja dose varia de 100 a 150 microgramas a depender do peso da paciente, e fica sob efeito por uma semana. Nestes 7 dias não precisa tomar mais nenhuma dose adicional, a não ser em alguns casos o antagonista do GnRH (Cetrotide ou Orgalutran) para evitar ovulação precoce.

A partir do 8º dia é que se avalia, por exame de ultrassom transvaginal, se a paciente necessita de mais alguns dias de doses adicionais de gonadotrofinas, até que se atinja a maturidade folicular-ovocitária desejada. Desta maneira, o número de injeções é reduzido, trazendo mais conforto à paciente.

A medicação já foi testada e validada em vários estudos clínicos, e mostrou eficácia semelhante às medicações injetáveis diárias existentes. O número de óvulos maduros, taxas de fertilização, implantação, gravidez e nascidos vivos foi semelhante com o Elonva versus as medicações tradicionais (Gonal/Puregon/Menopur).

No momento a principal indicação clínica é para pacientes normo-respondedoras, ou seja, que tenham resposta ovariana dentro de uma média normal. Neste caso os exames de avaliação de reserva ovariana devem estar normais, com contagem de folículos antrais pelo ultrassom entre 7 e 15, e níveis de hormônio antimuleriano (AMH) entre 1 e 3,5 ng/ml.

Em pacientes com reserva ovariana baixa e que tenham poucos folículos, a medicação ainda não foi suficientemente testada. Pode ser que estas pacientes precisem de ajustes mais precoces da dose de gonadotrofinas (antes do 8º dia), e portanto não seriam boas candidatas para o Elonva. Entretanto, estão sendo finalizados estudos clínicos neste grupo, e os resultados iniciais têm sido animadores.

Outro grupo ainda sem boa indicação para o Elonva é o de alta-respondedoras, como as pacientes novas, de baixo IMC (magras), e ovários com muitos folículos. Neste grupo o temor é que haja resposta excessiva dos ovários, e risco de desenvolvimento da Sindrome do Hiperestímulo Ovariano. Mas ainda assim, alguns centros têm testado o Elonva nestas pacientes, já que hoje, através do disparo da ovulação com agonista de GnRH e o protocolo de congelamento de todos os embriões (“freeze all”) praticamente conseguimos zerar o risco de hiperestímulo ovariano grave.

Assim, o Elonva é muito bem-vindo na nossa prática clínica. Seu uso casa muito bem com aquelas pacientes que iniciam a estimulação fora do centro de FIV (em outras cidades e estados), onde possa haver dificuldade para acompanhamento ultrassonográfico precoce. Também, com aquelas pacientes cuja rotina profissional é muito atribulada, dificultando o comparecimento à clínica para exames muito freqüentes.

Estes são as informações importantes sobre esta nova droga no arsenal da Medicina Reprodutiva. Fiquem ligados nos nossos próximos posts.

Boa leitura! Boa semana!

48 Comentários para “Simplificação da Estimulação Ovariana – ELONVA”

  1. cristina disse:

    no meu caso como voce respondeu a minha pergunta e ate me falou que no meu caso melhor fazer indução de óvulos .como posso fazer esse tratamento .gostaria de saber se na casa da mulher faz esse tipo de tratamento ou se tevo pedir p eles esse tratamento .

  2. fabioeugenio disse:

    Oi Cristina,

    Converse com um ginecologista sobre o tratamento.

    Abs,

    Dr. Fábio Eugênio

  3. Adriana, disse:

    Olá dr. Fábio, estou tentando engravidar a mais de 1 ano e nesse período fizemos vários exames todos bons, menos um o de histerossalpingografia apareceu q estou c a trompa esquerda inflamada, fui medicada e continuei tentando e nada e agora minha médica quer tentar (puregon pen 300 e ovidrel 250) junto c ultras seriadas, o senhor acha q tenho chances c esse tratamento?? desde já agradeço a atenção.

  4. fabioeugenio disse:

    Oi Adraina,

    Se o espermograma do seu marido é normal, pode haver chances sim com a indução.

    Abs,

    Dr. Fábio Eugênio

  5. Adriana, disse:

    Oi dr. Fábio, o espermograma do meu marido foi feito no meio do ano e está ok! Então tenho chances c esse tratamento?!
    obg!

    Abs Adriana

  6. fabioeugenio disse:

    Adriana,

    Há chances sim!

    Abs,

    Dr. Fábio Eugênio

  7. Patricia disse:

    Olá Dr. Fábio

    Gostaria de tirar duas dúvidas:

    1- Quais as chances de conseguirmos engravidar com FIV?
    2- O tratamento prolongado com Allurene dificulta a estimulação ovariana?

    Segue um breve relato do nosso histórico médico.

    Eu: Com 20 anos descobri a endometriose, como demoraram para descobrir ela já estava muito avançada e na primeira vídeo perdi um ovário inteiro…

    Usei Zoladex e fiquei 9 meses sem menstruar, foi maravilhoso!
    Coloquei o Implanon, mas tinha muitos escapes, então troquei pelo Cerazette, que funcionou por 6 meses e depois começaram os escapes.

    Fiz a segunda vídeo (por causa dos escapes a endo voltou) e perdi uma parte pequena do ovário que tinha sobrado.

    Comecei a tomar o Allurene e nunca mais tive dor e nem escapes, estou com ele há um ano e meio.

    Hoje tenho 26 anos (prestes a fazer 27), sem endometriose, sem dor, e sem menstruar por conta do Allurene.

    Fiz o Anti Mulleriano: 1,81, baixa reserva ovariana.
    Exames apontaram uma tendência à trombofilia, mas essa eu sei que dá para contornar.

    De acordo com os médicos eu poderia tentar engravidar naturalmente.

    Meu marido:
    Com 25 anos ele começou a ter uma baixa contagem de espermatozoides, foi diagnosticado com Varicocele em um testículo e um cisto (que não sabíamos o que era, no outro), operou a Varicocele, o cisto ficou em observação, mas a cirurgia não foi eficaz, o espermograma continuou caindo.

    O cisto se manteve igual por 2 anos, depois ele mudou de característica,
    foi indicada a cirurgia, e antes resolvemos fazer um congelamento de sêmen.

    Chegamos a receber resultado de Azoospermia por um laboratório comum. “Presença de raros espermatozóides imóveis após centrifugação”. Resolvemos arriscar no congelamento de sêmen mesmo assim. Conseguimos congelar algumas amostras, fizemos múltiplas coletas em duas clínicas diferentes. A motilidade e a morfologia estão pouco abaixo no normal. No total, ficaram 20 pastilhas congeladas. Cada coleta deu mais ou menos uma média de 200 mil espermatozoides, fizemos umas 6 coletas.

    Foi retirado o testículo e o diagnostico foi de Seminoma Clássico. Ainda bem pequeno, menos de 2 cm. Ele fez apenas uma sessão de quimio com Carboplatina. (Feita em 23 de Dezembro de 2014)

    A testosterona dele estava em 1060, muito acima do normal. O LH e o FSH estavam super baixos. Após a cirurgia, a testosterona voltou ao normal, o FSH e o LH ele ainda fará exames para saber. Ainda não foi realizado nenhum espermograma para ver se melhorou, pois temos que esperar 3 meses, que é o tempo que leva a espermatogênese, certo?

    De qualquer maneira, como ele fez a quimio, o indicado é não engravidarmos com o sêmen “pós quimio” por dois anos… Então queremos fazer uma FIV. Sabemos que terá que ser por ICSI.

    Eu gostaria de esperar até Outubro deste ano para fazer o procedimento por causa de questões pessoais e financeiras. Mas não sei se seria viável manter o Allurene até lá, pois no total daria quase dois anos e meio com o Allurene. Aí vem a minha pergunta, vi numa discussão de pacientes (não tive essa informação por nenhum médico) que o Allurene causa um problema nos ovários e depois fica difícil fazer a estimulação ovariana, isso procede? Há algum estudo científico que comprove isso? É uma observação clínica que o Sr tem notado? Tenho medo de sair do Allurene para outro medicamento e também não me adaptar, acabar tendo sangramentos e terminar em outra vídeo.

    Desculpe o texto grande, mas é que nosso caso é bastante singular.

    Obrigada por manter esse site, ele é muito útil!
    Parabéns pelo seu trabalho, é maravilhoso poder contar com médicos como você nesse mundo! Eu sou de Brasília, caso contrário marcaria uma consulta com o Sr!

  8. fabioeugenio disse:

    Oi Patrícia,

    Após 15 a 20 dias da parada da medicação, não há mais influência hormonal do Allurene. Pode tomar tranquila.

    Suas chances com a FIV (ICSI) aos 26 anos são muito boas.

    Abs,

    Dr. Fábio Eugênio

  9. cristiane disse:

    Bom dia Dr. Fabio!
    Pode haver nidação com 2 dias de transferência?
    Fiz minha transferência na sexta e no domingo saiu corrimento rosado ,
    Ma achei estranho que saiu um elástico marrom? O que seria?
    Obrigada!
    Aguardo

  10. fabioeugenio disse:

    Oi Cristiane,

    É normal esta secreção neste período.

    Abs,

    Dr. Fábio Eugênio

  11. La disse:

    Boa tarde, estou tomando Serophene 200 mg por dia, fiz um antimulleriano 0.68 ng\dl tenho 40 anos, o espermograma do meu marido esta ok, já tenho 1 filho … gostaria de saber se esse tratamento esta correto, se realmente existe a possibilidade de funcionar.

  12. fabioeugenio disse:

    Olá,

    Somente com monitorização da ovulação pode-se definir a eficácia da medicação em lhe fazer ovular.

    Abs,

    Dr. Fábio Eugênio

  13. Vitoria disse:

    Boa tarde,

    Fui diagnosticada com menopausa precoce, com 35 anos, devido ao elevado nível de FSH. Gostaria de saber se há qualquer chance de ainda ter uma reserva ovariana, ainda que pequena, que seja possível fazer um congelamento do óvulo. Eu poderia tentar fazer a estimulação ovariana? Ou devido à este resultado já não é mais possível?

    Abraços

  14. fabioeugenio disse:

    Oi Vitória,

    Depende do nível do seu FSH, e do ultrassom transvaginal de contagem de óvulos.

    Abs,

    Dr. Fábio Eugênio

  15. Vitoria disse:

    O meu nível de FSH foi de 73. Com este nível é possível ainda ter alguma reserva ovariana, ou não? Vou pedir ao médico para fazer o ultrasson de contagem de óvulo.

    Obrigada!

    Abraços

  16. fabioeugenio disse:

    Oi Vitória,

    O valor está realmente muito alto e pode significar falência ovariana.

    Abs,

    Dr. Fábio Eugênio

  17. Barbara disse:

    Olá Doutor !!!!!
    Primeiro gostaria de te parabenizar pelo seu site e a tua disponibilidade de passar a tua experiência e confiança para nós que sonhamos em ser mamães.

    Tive dois abortos. Descobri incompatibilidade com meu marido e trombofilia , já tive uma TVP e por último uma tromboflebite. Agora achegamos n fase final do tratamento da vacinas ILP. E começo a tentativa da fertilização. Meu médico me pediu para usar o ELONVA no 2º dia do ciclo menstrual . E aí está correto?

  18. fabioeugenio disse:

    Oi Bárbara,

    O Elonva é iniciado exatamente neste período.

    Abs,

    Dr. Fábio Eugênio

  19. Alicia disse:

    Olá Dr. Fábio!! Tenho sop, e não conseguir engravidar, tomei letrozol 2 por 5 dias. Minha M é desregulada, não fiz seriação. Minha última M foi dia 8 de abril. Hj 10 de maio ainda não chegou. Será gravidez?? Letrozol se caso não conseguir engravidar, pode fazer a M descer?? Obrigada pelo seu apoio.

  20. fabioeugenio disse:

    Oi Alícia,

    Se tiver havido ovulação, ou você está grávida (faça um beta-hcg), ou a menstruação vai descer.

    Abs,

    Dr. Fábio Eugênio

  21. Sandra disse:

    Dr.Fabio a um ano não menstruo,fiz exames laboratoriais e ultra-son,tenho 39 anos,meus folículos estão no fim,meu marido e eu estamos querendo ter filhos,existe a possibilidade de fazer a FIV,tem possibilidade de fazer a estimulação ovaríana?

  22. fabioeugenio disse:

    Oi Sandra,

    Se o caso é de falência ovariana, o tratamento indicado é a FIV com doação ovular.

    Abs,

    Dr. Fábio Eugênio

  23. Elisa disse:

    Dr. Estou fazendo o tratamento p a fiv. O anticoncepcional tomei até domingo.
    Porém, passei uma semana c escapes por ter esquecido de tomar a pílula no sábado dia 12/09.
    O cronograma da minha ginecologista era p aplicar o Enlova no 2 dia após o 1 dia da menstruação.
    Mas acredite: mesmo sem a pílula desde ontem 29/09 ainda não desceu.
    Isso pode adiar o procedimento? !
    Digo… aguardar mais um mês já que ” mestruei” por escape por uma semana? !

  24. fabioeugenio disse:

    Oi Elisa,

    A menstruação pode descer até 5 a 7 dias após a parada do anticoncepcional.

    Abs,

    Dr. Fábio Eugênio

  25. ra e ma disse:

    Olá Dr. Fábio

    Estou com baixa reserva ovariana, anti mulleriano de 0,25… já tive dois abortos. Tenho apenas um ovário devido a endometriose, além disso, não tenho uma proteína que ajuda na anticoagulação e preciso tomar 3 doses de ILP.

    Há chances de engravidar??? o que o senhor me indica???Tenho 32 anos e estou desesperada.

    Desde já agradeço

  26. fabioeugenio disse:

    Oi Rachel,

    Existem chances sim através da fertilização in-vitro (FIV), caso haja resposta à estimulação.

    Abs,

    Dr. Fábio Eugênio

  27. Maria disse:

    Oi doutor ,tenho 35 anos ja tive uma gravides aos 21 que doi diagnosticada popularmente mola ,fi controle de hormonio e depois de 2 anos engravidei normal quando minha filha tinha 2 anos engravidei e tive um aborto expontaneo e não me preveni e ate então nao engravidei mas.Hoje sou diagosticada com sop ..mas quero muito engravidar.
    O que o senhor meaconselha?

  28. fabioeugenio disse:

    Oi Maria,

    Consultar um especialista para avaliação, e tratamento adequado.

    Abs,

    Dr. Fábio Eugênio

  29. daniele disse:

    oi fiz o tratamento de fiv ,não conseguir fazer a retirada dos ovulos , pq não chegou ao tamanho de 17 a 20 m,queria saber pq acontece isso

  30. fabioeugenio disse:

    Oi Daniele,

    Pode ser dose inadequada, medicação inadequada, ou característica própria do seu ovário (baixa resposta).

    Abs,

    Dr. Fábio Eugênio

  31. Adrianne disse:

    Dr.Fabio, Tenho 45 anos e 20 dias. Aos 22 fiz um aborto provocado. Como meu tipo de sangue e’ negativo e do meu parceiro na epoca era positivo, fiquei preocupada com uma nova gravidez. Nao tenho filhos e hoje quero engravidar, mas meu parceiro nao quer. Pelo que li sobre estimulacao dos ovulos somado a tentar uma gravidez sem a concordancia do meu parceiro tenho raras possibilidades de engravidar pela minha idade certo? Nao faco uso da pilula, DIU ou diafragma a15 anos e praticamos coito interrompido no momento.

  32. fabioeugenio disse:

    Oi Adrianne,

    As chances naturais são pequenas mas existem. E faça o exame de coombs indireto para avaliar em relação ao fator Rh.

    Abs,

    Dr. Fábio Eugênio

  33. keli disse:

    boa noite o que ocorre se uma paciente com antimuleriano de 4,6 e sem problemas tomar 150 mg de elonva, sendo magra e peso 54 kg?

  34. fabioeugenio disse:

    Oi Keli,

    Vai ter uma resposta mais forte, e produzir muitos óvulos.

    Abs,

    Dr. Fábio Eugênio

  35. Giulia Silva disse:

    Boa noite, tenho 39 anos, baixa reserva ovariana 0,70, já fiz várias induções com letrozol sem resultado, será que ainda há chances de gravidez?

  36. fabioeugenio disse:

    Oi Giulia,

    Existem chances sim, com os outros tratamentos de reprodução humana.

    Abs,

    Dr. Fábio Eugênio

  37. Anna disse:

    Tenho 26 anos e após 4 anos tentando engravidar meu médico descobriu que eu possuo uma trompa obstruída e me encaminhou
    Para um esterileuta. O médico me aconselhou a realizar a fiv. inuciei o tratamento ontem com elonva no segundo dia da menstruação e hoje nk terceiro dia mi ha menstruação está muito fraquinha. Isso é efeito da medicação? Após a transferência o ideal é fazer repousoou não é necessário?

  38. Patrícia S. Boulanger disse:

    Boa noite Dr. Fábio!
    Tenho 40 anos e um filho biológico de 5 anos gerado por FIV.
    Eu e meu marido desejamos um outro filho e gostaríamos de saber:
    1- Qual o número médio de dias para que a estimulação ovariana esteja completa, da primeira injeção até a aspiração dos óvulos?
    2- Em quais dias da estimulação ovariana necessitarei ser submetida a exames de ultrassonografia?
    Atenciosamente,
    Patrícia Boulanger

  39. fabioeugenio disse:

    Oi Anna,

    A menstruação pode ficar mais curta sim. O repouso não é indispensável (leia no blog nosso post sobre este tema!! )

    Abs,

    Dr. Fábio Eugênio

  40. fabioeugenio disse:

    Oi Patrícia,

    Em média 12 a 13 dias do início da estimulação à coleta de óvulos. O ultrassom é feito em geral no 2o/3o dia, e a seguir dependendo da resposta ovariana.

    Abs,

    Dr. Fábio Eugênio

  41. Erlane marinho de barros disse:

    Gostaria de,sr mae novamente estou no segundo casamento e gostaria de começar um tratamento onde posso ta fazendo sou maquiada tenho 41anos moro em são Paulo franco da rocha

  42. fabioeugenio disse:

    Oi Erlane,

    Você tem ótimas chances pela FIV. Em SP há várias boas clínicas de reprodução assistida.

    Abs,

    Dr. Fábio Eugênio

  43. Marcella Pires disse:

    Bom dia Dr Fabio.
    Acabei de fazer 42 anos e não tive filhos, sou casada a 2 anos e meu marido reverteu uma vasectomia q acredito não ter dado resultado. É a minha segunda tentativa p FIV, a primeira tive 2 óvulos fertilizados mas não evoluiram a partir do 3o dia. Nessa ultima eles estavam em um excelente tamanho mas tive a má surpresa em saber q não estavam maduros, amadureceram depois de 3 horas e fertilizaram, no entanto parecem estar fragmentados segundo o embriologista. De acordo c sua experiência, acha que isso é um sinal de que novas tentativas serão em vão?! Acha q deveríamos partir para doação?!
    Grata
    Marcella Pires

  44. fabioeugenio disse:

    Oi Marcella,

    Acho que pode tentar antes um ciclo com transferência no D3, tentando mudar o esquema de estimulação ovariana.

    Mas a doação também é sempre uma excelente opção.

    Abs,

    Dr. Fábio Eugênio

  45. Tha disse:

    Estou em tratamento e hoje, 3º dia do ciclo, apliquei 2 doses de 100mcg/0,5ml de Elonva. Meu anti muleriano deu 1,72, tenho 29 anos e peso 67kg. Está correta a dose? Não entendi porque 2 doses aplicadas no mesmo dia e ao mesmo tempo.

  46. fabioeugenio disse:

    Olá Thalita,

    Não conheço este esquema de dose dupla do Elonva. Em mulheres acima de 60 kg a dose usual é uma ampola de 150.

    Abs,

    Dr. Fábio Eugênio

  47. Daniela disse:

    Boa Noite Doutor! Tenho 34 anos…dia 14/2 fui submetida à minha segunda videolaparoscopia; endometriose grau II; foi apenas feito a limpeza…sem retirar qq órgão 🙏🙌 no dia 18 menstruei e dia 22/2 iniciei tratamento para FIV, iniciando com dose 150 mcg! Hoje, 27/2 realizei primeira ultrassom, com contagem de 7 folículos…na quarta-feira realizo segunda ultrassom…estou bastante apreensiva e ansiosa; com inúmeros estudos e relatos, será que terei sucesso na FIV?!?!

  48. fabioeugenio disse:

    Oi Daniela,

    A FIV é sem dúvida o tratamento mais efetivo para obter gravidez nos casos de endometriose!

    Abs,

    Dr. Fábio Eugênio

Deixe uma resposta

Mensagem