Sempre que falamos de fatores prognósticos em relação às chances de gravidez, seja natural ou através dos tratamentos de reprodução assistida, não cansamos de enfatizar que a idade da mulher é, quase certamente, o fator isolado mais importante. Afinal a mulher não renova seus óvulos e, portanto, quanto mais o tempo passa menor a chance de gravidez.

Em geral os homens ficavam um pouco isentos deste aspecto. Porém, cada vez mais estudos científicos têm mudado esta concepção, pois vários deles têm mostrado que o aumento da idade no homem também pode estar relacionado a várias alterações na sua fertilidade.

Um estudo recente realizado em clínicas de fertilidade na Califórnia-EUA, e publicado na revista internacional Fertility Sterility, vem reforçar esta desconfiança: a idade é também fator importante para a fertilidade masculina!!

É certo que, do ponto de vista biológico, o homem tem importantes vantagens reprodutivas em relação à mulher. A principal delas é que o tecido de produção dos espermatozoides nos testículos (tecido germinativo testicular) funciona durante toda a vida do homem. Ou seja, o homem está sempre renovando sua população de espermatozóides, durante toda sua vida reprodutiva, em média a cada dois meses!!

No caso da mulher, como explicamos em vários posts neste blog, o tecido germinativo que origina os óvulos se diferencia ainda na fase de vida intra-uterina. Ou seja, a mulher já nasce com um conjunto finito de óvulos, e vai apenas perdendo de maneira irreversível ao longo da vida.

Porém, o que os estudos científicos têm mostrado no homem, e é também o achado do estudo em questão que analisamos aqui, é que vários parâmetros de qualidade da produção dos espermatozoides vão caindo progressivamente, principalmente após os 35 anos de idade.

Neste trabalho científico, cujo autor principal é o Dr. Bronte Stone do Laboratório de Tecnologia Reprodutiva de Los Angeles – Califórnia, foram analisadas amostras seminais de mais de 5.000 homens. Além do espermograma padrão, que avalia principalmente a concentração (quantidade), a motilidade (velocidade), e a morfologia (formato) dos espermatozoides, em muitas amostras foi ainda realizada a análise dos cromossomos (material genético) dos gametas pela técnica de FISH.

No geral foi encontrada uma queda na quantidade e qualidade espermática após os 35 anos de idade. Do ponto de vista clínico, isto significa que homens após esta idade podem demorar mais para engravidar suas parceiras, e estas podem ainda ter um risco aumentado para abortamento precoce por alterações na formação do embrião.

Como exemplo, comparando homens até 30 anos versus homens após os 45 anos, a motilidade progressiva do sêmen, que é um parâmetro muito importante no potencial de fertilidade, caiu de 33% pra 26%. E a quantidade total média de espermatozoides nas amostras caiu de 204 para 136 milhões. Ambos os achados foram estatisticamente significantes.

Por outro lado, não houve aumento progressivo da taxa de aneuploidia (alterações de cromossomos) nos espermatozoides com o aumento da idade – o que é um achado tranquilizador.

Os mecanismos responsáveis por esta queda da qualidade do sêmen com o aumento da idade parecem ser o próprio envelhecimento do tecido germinativo testicular (que produz os espermatozoides), e ainda o aumento da concentração de espécies reativas do oxigênio (radicais livres) no testículo.

Interessante ainda foi o achado de que com o incremento da idade, existe um aumento da porcentagem de espermatozoides X na amostra seminal. Isto significa que homens mais velhos têm maior possibilidade de terem filhas (mulheres), em comparação com homens mais jovens. Porém esta diferença é muito pequena, em torno de 6%.

Em conclusão: o fator idade afeta a reprodução em ambos os sexos. Certamente esta queda de fertilidade é maior e mais rápida na mulher, que não conta com a renovação de seus gametas durante a vida, mas também afeta o homem. Vale sempre o conselho de não adiar muito a paternidade e maternidade, e sempre consultar um especialista para orientação.

Esperamos que tenham tido uma ótima leitura. Até o próximo post.

6 Comentários para “O homem na berlinda: idade paterna na reprodução humana”

  1. Elaine disse:

    Olá. Dr. nunca engravidei, mas já completei 52 anos agora em fevereiro e meu marido Tem 49. Pelo que li teria chances com um ovulo doado e os espermatosóides do meu marido. Estes ovolus não poderiam ser de uma parente minha? no caso de não poder, onde é este banco de ovulos e como funciona? é possível obter as caracteristicas da doadora parecidas com as minhas? obrigada.

  2. fabioeugenio disse:

    Oi Elaine,

    Atualmente, o Conselho Federal de Medicina limita em 50 anos a idade para os tratamentos.

    Abs,

    Dr. Fábio Eugênio

  3. Thamires disse:

    olá dr. Estou com uma dúvida, tenho 21 anos
    E meu esposo 50… Quero engravidar, será que existe chances do meu bebê nascer com algum problema? Obrigada

  4. fabioeugenio disse:

    Oi Thamires,

    Na sua faixa de idade, os riscos são mínimos !!

    Abs,

    Dr. Fábio Eugênio

  5. claudia disse:

    oi tenho 30 anos meu esposo 38 . nossa idade pode ser difícil engravidar? ou ter algum problema genético

  6. fabioeugenio disse:

    Oi Cláudia,

    Risco genético existe em qualquer idade, mas na sua idade estes riscos são muito baixos.

    Abs,

    Dr. Fábio Eugênio

Deixe uma resposta

Mensagem