Queda da qualidade do sêmen próximo ao notebook com wireless ativado - Medicina Reprodutiva - Dr. Fábio Eugênio

 O sêmen pode ter sua qualidade reduzida pela exposição prolongada a um notebook com conexão wireless ativada. É o que demonstrou um estudo publicado na revista Fertility and Sterility.

Descobriu-se que, após quatro horas de exposição, houve uma diminuição significativa na motilidade dos espermatozoides e um aumento na fragmentação do DNA (material genético) do esperma.

“Nossos dados sugerem que o uso de um computador notebook com conexão sem fio à internet, e posicionado perto dos órgãos reprodutores masculinos pode diminuir a qualidade do esperma humano”, disse o pesquisador Dr. Conrado Avendaño, do Centro de Medicina Reprodutiva Nascentis na Argentina. “No momento nós não sabemos se esse efeito é induzido por todos os computadores laptop conectado por WiFi à internet, ou que condições aumentam este efeito”.

O estudo foi conduzido por pesquisadores Argentinos em colaboração com cientistas da Faculdade de Medicina de Virgínia nos Estados Unidos. Foram colhidas amostras de sêmen de 29 homens saudáveis ​​com idades entre 26 e 45 anos. O sêmen de cada doador foi dividido em duas amostras.

Uma amostra foi exposta a um notebook conectado à internet Wi-Fi por quatro horas, enquanto o restante do sêmen foi utilizado como controle. Excetuando a presença do notebook, as condições de incubação e temperatura das duas amostras foram iguais.

O estudo examinou a motilidade espermática, viabilidade e fragmentação do DNA. Os resultados mostraram que 25 % dos espermatozoides da amostra junto ao notebook estavam imóveis, e 9% mostraram danos irreversíveis no DNA. Apenas 14 % da amostra de esperma de controle estava imóvel, e 3% mostraram danos no DNA. Os resultados sugerem que a radiação eletromagnética emitida por sinais sem fio, como os recebidos via wireless podem ser responsáveis ​​por causar os danos aos espermatozoides.

É sabido que a radiação eletromagnética do sinal wireless transmite alguma energia, que pode ser absorvida pelo corpo. Mas em geral, a potência é muito baixa, e não causa danos conhecidos à saúde em geral. Este novo experimento sugere um possível dano à qualidade do sêmen decorrente desta energia.

Embora esse estudo possa ser o primeiro a avaliar o impacto do uso de laptop no esperma humano, são necessárias mais pesquisas, até porque se baseou em uma amostra pequena.O especialista britânico em medicina reprodutiva Dr. Allan Pacey, professor de Andrologia da Universidade de Sheffield, disse:  “O estudo é muito bem conduzida, mas devemos ser cautelosos sobre o que podemos inferir sobre a fertilidade de homens que usam regularmente laptops com internet Wi-Fi em seu colo”.

“Espermatozoides ejaculados são particularmente sensíveis a muitos fatores, porque fora do corpo eles não têm a proteção das outras células, tecidos e fluidos do corpo em que são armazenados antes da ejaculação, o Dr. Pacey explicou.”Portanto, não podemos inferir a partir deste estudo que, porque um homem usa um notebook com WiFi em seu colo por mais de quatro horas, então seu esperma será necessariamente danificado e ele vai ser menos fértil. Precisamos de grandes estudos epidemiológicos para determinar isso, com grandes amostras, e ao meu conhecimento estes ainda não foram realizados”.

Entretanto, devemos lembrar e alertar os homens sobre este uso de notebooks no colo por períodos de tempo prolongados. Afinal, outro estudo recente mostrou que este hábito pode levar a um aumento importante da temperatura da região genital, incluindo testículos, e prejudicar a qualidade do sêmen.

Enquanto aguardamos dados definitivos, não custa nada aconselhar os homens que trabalham com notebooks, conectados ou não à internet wireless, a usarem o computador em uma mesa, e não sobre seu colo.

1 Comentário para “Queda da qualidade do sêmen próximo ao notebook com wireless ativado”

  1. Rafael disse:

    Sempre tive esta dúvida, desde que surgiram as primeiras pesquisas.
    Bom saber!

Deixe uma resposta

Mensagem