No último dia 23, a Sociedade Americana de Medicina Reprodutiva promoveu o curso “Controversies In Vitro Fertilization: A Critical Assessment", na Cidade de Denver, Colorado, EUA. Tive a oportunidade de participar. O curso foi uma espécie de mini-seminário sobre diretrizes para a prática de Fertilização in Vitro. O objetivo era preparar os participantes para que possam transmitir aos seus pacientes de forma clara e competente todas as informações sobre o assunto. E, dessa forma, ajudá-los a decidir sobre a utilização, ou não, deste tratamento.

Durante o curso, as discussões giraram em torno de tópicos como os resultados de estudos das drogas utilizadas no tratamento de Fertilização in Vitro, como aspirina infantil e a suplementação de estrogênio e hormônio de crescimento luteal. Também entre os temas em discussão, estava a idade média das pacientes que têm concebido com ovócitos [óvulos] criopreservados, assim como a sobrevivência de ovócitos esperados e as taxas de gravidez nessas situações.



Já aqui no Brasil, entre os dias 13 e 16 de Outubro, a Associação Médica Cearense realizou o XXV Outubro Médico. Na programação de Ginecologia e Obstetrícia, fui palestrante na mesa redonda sobre Endocrinologia Ginecológica, falando do tratamento atual da Síndrome dos Ovários Policísticos. Também presidi a Sessão Interativa sobre Hemorragia Uterina Anormal, um espaço para discussão de casos.

Nenhum comentário ainda, seja o primeiro.

Deixe uma resposta

Mensagem