Parto normal: uma opção saudável - Medicina Reprodutiva - Dr. Fábio Eugênio

Atualmente, muitas gestantes optam pela cesariana na hora de escolher o tipo de parto, mesmo sabendo que o corpo feminino não foi preparado para isso. Relegado à segundo plano por comodidade ou por desconhecimento, o parto normal, também conhecido como vaginal, possui mais vantagens. Dentre elas, a diminuição no risco de complicações para a mãe no pós-parto, que quando via abdominal (cesariana) aumenta a possibilidade de dor pélvica, além do risco de hematomas e infecções.

Dentre os fatores clínicos que devem ser levados em consideração para determinar a possibilidade da realização do parto normal está o formato do quadril (bacia) da mulher, que é o trajeto por onde o bebê passa, a força das contrações uterinas, o tamanho e posição do bebê no útero. Algumas mulheres podem ter dúvidas na realização do parto normal por medo da dor ou até de possíveis danos à pelve, uretra e ânus, porém estes últimos casos são raros. O relaxamento da musculatura pélvica não altera em nada o desempenho sexual futuro. Por outro lado, as dores do parto normal podem ser muito atenuadas pela anestesia intraparto (peridural contínua), permitindo uma parturição com mínimo sofrimento físico à mãe.

Outro fato a ser considerado é que tanto os índices de mortalidade materna quanto neonatal são bem menores no parto normal se comparado a da cesariana. Além disso, o procedimento não causa fortes dores e a recuperação tende a ser mais rápida e tranquila, o que possibilita à mãe retomar seus afazeres prontamente. Normalmente, 24 horas após o parto normal, a nova mamãe pode ir para casa com o seu bebê. Já quem opta por uma cesariana, geralmente, recebe alta entre 36 e 48 horas após o parto e pode levar de 30 a 40 dias para se recuperar totalmente da cirurgia.

Considerada uma cirurgia de médio porte, a cesariana é indicada nos casos em que a posição da criança não é a adequada (ao invés de ela estar de cabeça para baixo, está sentada ou transversa), quando não houver boa dilatação do colo do útero ou quando o tamanho do feto for muito grande ou a bacia da mãe muito pequena, dificultando a passagem da criança. Insuficiência placentária, sensibilização do feto pelo fator RH, perigo para a vida da mãe ou do bebê também são indicados para uma cesariana. É bom também que se diga, tranquilizando as mamães, que, havendo indicação de cesárea, este é um procedimento atualmente muito seguro, e com margens mínimas de complicações quando realizado por profissional (obstetra) habilitado, e em hospital com adequada infraestrutura cirúrgica e de apoio neonatal aos recém-nascidos.

A cada cesariana, o trabalho de parto é mais complicado do que no anterior, por isso, é importante conversar com seu médico e fazer o pré-natal correto, para que possa ser definido o procedimento mais indicado para cada caso, levando sempre em consideração à saúde tanto da mãe quanto do bebê.

Para as pacientes que engravidaram através de tratamentos de reprodução assistida, devemos frisar que não existe qualquer impedimento ao parto normal, quando a gestação é única e os critérios colocados acima estão preenchidos. O principal e fundamental em todo este processo é: escolha um excelente médico obstetra. Afinal, ele será o responsável pela saúde do binômio mãe-feto até o nascimento do novo, e tão esperado, bebê.

Veja em nosso Blog também qual é a importância da alimentação antes e durante a gravidez neste link, e após a gravidez, clicando aqui!

2 Comentários para “Parto normal: uma opção saudável”

  1. Fabiana disse:

    Bom dia Dr.!
    Estou na semana 37 da minha 2ª gestação (perdi a 1ª), e hoje 14/06 descobri durante a consulta que tenho a bacia estreita, o colo do útero está fechadinho e não tenho nada de dilatação.
    Gostaria de saber se há algo que eu possa fazer para modificar "aumentar" a bacia,  ou ajudar na dilatação para ter parto normal, ou se terei de me conformar e passar pela cesária?!
     
    Grata

  2. fabioeugenio disse:

    Olá Fabiana,

    Infelizmente não há como “aumentar” a bacia. Se esta não for compatível com o tamanho do bebê, mais seguro optar pela cesareana. Por outro lado, você não ter dilatação com 37 semanas é normal. A dilatação pode acontecer apenas a partir do trabalho de parto (contrações), e você poderia esperar até 3 semana a mais se o bebê estiver completamente saudável. E se necessário, as contrações, dilatação e parto podem ser induzidos.

    Converse com seu obstetra!!

    Boa sorte, e um bebê com bastante saúde.

    Dr. Fábio Eugênio

Deixe uma resposta

Mensagem