Os casais preocupados com a transmissão de doenças genéticas para os seus filhos já podem ficar mais tranqüilos. Essa detecção pode ser realizada através do DGPI (Diagnóstico Genético Pré-implantacional), exame de alta tecnologia que facilita a identificação de embriões portadores de problemas genéticos antes da transmissão para o útero materno. Doenças com alteração de apenas um gene (doenças monogênicas) como a Fibrose Cística, Talassemias, Hemofilias e, ainda, as alterações cromossômicas como a trissomia 21 (mongolismo) podem ser identificadas e prevenidas.

Através de técnicas de reprodutiva passa a ser possível a identificação e separação dos embriões geneticamente normais, o que faz a probabilidade do sucesso de uma gestação aumentar, beneficiando principalmente casais com alto risco genético. A técnica  foi utilizada com sucesso pela primeira vez em 1990. Hoje já há relatos de mais de 4.000 ciclos de FIV com PGD no mundo. Em janeiro do ano passado uma menina nasceu sem os genes do câncer de mama e de ovário, o BRCA1, provenientes de mãe e pai.

1 Comentário para “Novas técnicas de reprodução que previnem a transmissão de doenças”

  1. Preciso saber onde faço o DGPI e o preço deste exame. moro no rio de janeiro. obrigada.

Deixe uma resposta

Mensagem